segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Em Construção


A Festa do Avante! é como a Primavera. Todos os anos volta a nascer.
Não interessa quantos golpes baixos lhe disferem, quão elevado é o ataque à sua existência, à sua realização e à sua coerência enquanto festa de um jornal que não é um jornal qualquer: é o orgão oficial do Partido que maior e melhor oposição desenvolve, na luta de todos os dias, ao lado dos trabalhadores, agora - em 2010 - como durante os negros tempos do fascismo. Um jornal assim, o nosso Avante!, só poderia ter uma festa à altura, com milhares de mãos que a constroem, solidariamente, de forma militante - mesmo não o sendo.
A Festa do Avante! é o encontro cultural e político mais significativo do nosso país, e, tal como a Primavera, traz com ela uma esperança renovada a cada ano. A esperança num mundo mais justo, mais fraterno, sem exploração de um homem por outro homem, onde possamos finalmente viver uma paz duradoura.
É por isso que quando os dias da Festa se aproximam eu sorrio... como se antecipasse o gozo de cheirar, de olhos fechados, a primeira flor da Primavera.

9 comentários:

Maria disse...

Sorrimos, minha querida Camarada!
Construir a Festa e depois ver aquele mar de gente entrar, na sexta feira, ao final da tarde, é o melhor cheiro que me podem dar...
São três dias em que o sonho, o nosso sonho, se torna realidade, provando que é possível!

Beijos com saudades.

Justine disse...

E por lá nos encontraremos!

linhadovouga disse...

Que belo post, que belas e verdadeiras palavras neste teu regresso...

Membro do Povo disse...

Brigadas de implementação aqui vou eu!

João Oliveira disse...

Antes de mais os meus parabéns pelo seu texto. A seguir. as minhas desculpas pois roubei-o e coloquei-o no meu blog.
http://serpense.blogspot.com/
João Oliveira

Antuã disse...

Mais uma jornada de luta!

Pintassilgo disse...

Felicidades na nova cidade. Beijinhos para os três.

Fernando Samuel disse...

Aqui está um (belo) texto a confirmar que não há Festa como esta...

Um beijo.

GR disse...

Com este belo texto, senti o desassossego dos dias.
Porque a Festa também se faz aqui, aí e em todo o lado, na venda de EP’s, na colocação de propaganda, na distribuição de jornais.
Todos queremos lá estar!
A Festa do Avante é como um poema que corre de boca em boca.
não há Festa como esta!

Até à Festa!

Bjs,

GR