quarta-feira, 24 de novembro de 2010

Greve Geral

Sobre a GREVE GERAL poderia aqui dizer muitas coisas.
Poderia salientar o facto de ter tido um fortíssimo impacto; poderia chamar a atenção para o número de trabalhadores que aderiram: mais de três milhões de portugueses!;
poderia afirmar que esta Greve se reveste de especial importância dado o facto de ser convocada pela CGTP e pela UGT, coisa que não acontecia há 22 anos, e sobre isso poderia dizer também que na altura o Primeiro-Ministro era Cavaco Silva, num Governo PSD (que apesar de ter desgraçado Portugal é hoje candidato à presidência da República!), e que esta Greve Geral é a primeira a acontecer tendo o país um Governo supostamente socialista. Supostamente de esquerda. (Tenho que abrir um parêntesis para ganhar folêgo, depois deste pensamento..)
Podia dizer muita coisa.
Mas vou apenas dizer isto:

"Nossa força resgatada pela chama
da esperança no triunfo que virá
forjaremos desta luta com certeza
pátria livre operária camponesa
nossa estrela enfim triunfará!"
(excerto do Hino do Movimento Sem Terra)


(25 de Abril de 1974)


Um último VIVA à grandiosa Greve Geral de 24 de Novembro de 2010!




ESTE BLOGUE ESTÁ EM GREVE!
E QUEM O FAZ TAMBÉM!
amanhã falamos...

terça-feira, 23 de novembro de 2010

segunda-feira, 15 de novembro de 2010

QUEM QUER A PAZ NÃO QUER A NATO


Quanto mais nos aproximamos do dia 20 de Novembro maiores são as ofensas praticadas pelo actual Governo PS ao povo português. A organização e realização da Cimeira da Nato em Portugal tem demonstrado que, se ainda dúvidas houvesse, este é um Governo de direita, neo-liberal, que defende o grande Capital de uma forma nunca antes vista, sem pudor, sem consciêsncia, sem qualquer respeito pelo povo portugês e a sua soberania. Nos últimos dias as notícias dão conta de uma "preparação especial" por parte das supostas forças de segurança, a fim de prevenir actos de terrorismo. Estão deliberadamente a criar e a alimentar um medo nas pessoas, passando a mensagem nas entrelinhas: "Estão a ver? é a sério! Cuidadinho. Não apareçam por cá..." com o objectivo máximo de intimidar os manifestantes pela PAZ, que se opoem às acções criminosas da NATO, e às guerras que tanto jeito dão ao grande Capital.
Hoje, mais uma. Há cerca de 200 julgamentos que vão ser adiados devido à utilização do espaço físico envolvente do Campus de Justiça, onde vai funcionar um dos postos de comando que vai controlar a segurança durante a Cimeira.
Confesso que me falta inspiração e paciência para procurar um adjectivo adequado para tudo isto. Todas as palavras que me ocorrem não são muito polidas para usar num post. Por isso fico-me por aqui, com um pensamento que acompanha a luta de todos aqueles que não aceitam nem perdoam esta situação: QUEM FAZ A GUERRA NÃO QUER A PAZ. Ao que eu acrescento:
QUEM QUER A PAZ NÃO QUER A NATO!

segunda-feira, 11 de outubro de 2010

Analogia das "inevitabilidades"


"Recuso o semear das inevitabilidades, do discurso do “tem de ser assim” para justificar sacrifícios e dificuldades para quase todos e privilégios e lucros imensos para alguns, da resignação perante o aumento da exploração e o alastrar da pobreza, e contraponho, com toda a convicção, a afirmação de que há soluções e há alternativa a este rumo de desastre nacional, de que está nas mãos dos trabalhadores e do povo construi-lo com a sua intervenção, a sua luta e a sua determinação."

Francisco Lopes, electricista, candidato à presidência da República, sec. XXI

"Desconfiai do mais trivial, na aparência singelo.
E examinai, sobretudo, o que parece habitual.
Suplicamos expressamente: não aceiteis o que é de hábito como coisa natural, pois em tempo de desordem sangrenta, de confusão organizada, de arbitrariedade consciente, de humanidade desumanizada, nada deve parecer natural nada deve parecer impossível de mudar."

Bertold Brecht, poeta, dramaturgo e encenador alemão
, sec. XX

quarta-feira, 22 de setembro de 2010

Momento de humor no Ministério da Educação

"De partir o côco a rir!"- É a expressão mais suave que me ocorre quando assisto a este video. Sem dúvida, a senhora professora Maria Isabel Girão de Melo Veiga Vilar (aka Isabel Alçada) conseguiu a proeza de ser ainda mais ridícula que uma das "santanetes" que por ali andou e que d'zia muito "sabe qu'isto de ser m'nistra é muito d'fícil"...
Já agora... onde é que já se viu um ministro ser conhecido pelo pseudónimo. Se a moda pega...



Bem mais hardcore é este sketch do Rui Unas que desmonta de forma incrível todas as inflexões e pequenas nuances do discurso anterior... Mas pronto, esse é mesmo humorista profissional enquanto a outra... enfim...

quarta-feira, 1 de setembro de 2010

Vamos à Festa


A Festa do Avante! é marcante.
Hoje tive uma pequena e agradável surpresa. Conta-se em meia dúzia de linhas.
Um amigo meu, italiano residente em Portugal, visitou a Festa em 2009, seguindo uma sugestão minha. Sobrinho de um homem de direita, que tem um busto do Mussolini em casa (na Itália), o meu amigo adorou a Festa.
Claro. Sentiu-se muito bem. "Come-se muito bem", disse ele, de olhos arregalados.
E há os concertos... mais as exposições...
Este ano quer lá voltar.
A sorrir, disse-me que gostou de, naqueles dias, sermos todos "camaradas".
E saboreou a palavra - nova para ele - como se fosse um pequeno tesouro...


Até sexta!

segunda-feira, 30 de agosto de 2010

Sal sou eu, ó Angelina


Parece que me roubaram a identidade!
Que ofensa!!! E ainda tem a ousadia de perguntar "Who is Salt?"...
Ora essa... Eu já sou a Sal desde 18 de Janeiro de 2008...

...Estúpidos!

http://www.imdb.com/video/imdb/vi1236141849/

segunda-feira, 16 de agosto de 2010

Em Construção


A Festa do Avante! é como a Primavera. Todos os anos volta a nascer.
Não interessa quantos golpes baixos lhe disferem, quão elevado é o ataque à sua existência, à sua realização e à sua coerência enquanto festa de um jornal que não é um jornal qualquer: é o orgão oficial do Partido que maior e melhor oposição desenvolve, na luta de todos os dias, ao lado dos trabalhadores, agora - em 2010 - como durante os negros tempos do fascismo. Um jornal assim, o nosso Avante!, só poderia ter uma festa à altura, com milhares de mãos que a constroem, solidariamente, de forma militante - mesmo não o sendo.
A Festa do Avante! é o encontro cultural e político mais significativo do nosso país, e, tal como a Primavera, traz com ela uma esperança renovada a cada ano. A esperança num mundo mais justo, mais fraterno, sem exploração de um homem por outro homem, onde possamos finalmente viver uma paz duradoura.
É por isso que quando os dias da Festa se aproximam eu sorrio... como se antecipasse o gozo de cheirar, de olhos fechados, a primeira flor da Primavera.

domingo, 27 de junho de 2010

Sol e chuva


Por estes dias faz sol, faz chuva, faz sol, faz chuva...
O São Pedro não se decide, ou quê?

segunda-feira, 21 de junho de 2010

José Saramago


Faltam-me as palavras... Felizmente houve quem as escrevesse primeiro.


Não me Peçam Razões...

Não me peçam razões, que não as tenho,
Ou darei quantas queiram: bem sabemos
Que razões são palavras, todas nascem
Da mansa hipocrisia que aprendemos.

Não me peçam razões por que se entenda
A força de maré que me enche o peito,
Este estar mal no mundo e nesta lei:
Não fiz a lei e o mundo não aceito.

Não me peçam razões, ou que as desculpe,
Deste modo de amar e destruir:
Quando a noite é de mais é que amanhece
A cor de primavera que há-de vir.

José Saramago, in "Os Poemas Possíveis"
(16 de Novembro de 1922 - 18 de Junho de 2010)

segunda-feira, 31 de maio de 2010

Eu vi... com estes olhos...


Eram muuuuiiiitas, muuuuitas pessoas... Aquilo eram "mosquitos" de gente por todo o lado...
Só estando lá para sentir a emoção de estarmos unidos, unidos contra as políticas de direita de Sócrates e companhia.
300.000.
Este número até nem parece muito... Mas é!
Foram cerca de TREZENTOS MIL trabalhadores a manifestar-se em Lisboa!
Eu estive lá.
E tu?

segunda-feira, 24 de maio de 2010

O Povo


(recebida por mail - vamos avisar todos os amigos)

"O povo saiu à rua para festejar a vitória do Benfica e eu, apesar de ser da Académica, não achei mal. As pessoas têm o direito de ficar alegres.

O povo saiu à rua para ver o Papa e eu, apesar de ser agnóstica, não acho mal. As pessoas têm direito à sua fé.

O povo vai à Covilhã espreitar a selecção e eu, apesar de não ligar nenhuma, não acho mal. As pessoas têm direito ao patriotismo.

O governo escolhido pelo povo impõe medidas de austeridade umas atrás das outras, aumentando os impostos e não abdicando dos mega investimentos.

O povo não reage? Não sai à rua? Reclama à boca pequena e cria grupos zangados no Facebook?

Já chega!"

O Povo vai sair à rua, sim!

Contra o PEC, em defesa da profissão e dos serviços públicos…

29 MAIO - Sábado/Lisboa

MANIFESTAÇÃO NACIONAL


sexta-feira, 14 de maio de 2010

Os jornais não vão falar... A televisão não vai dar importância

Já prevendo a forma discriminatória como a maioria da comunicação social trata tudo o que lhes cheire a Homens e Mulheres emancipadas, a Liberdade, a Democracia... faço questão de aqui divulgar um evento de extrema importância para as mulheres: o 8º Congresso do MDM (Movimento Democrático de Mulheres), que, longe de ser uma mera congregação de feministas, é um dos mais antigos movimentos portugueses de defesa daquilo que é o lado feminino da Humanidade, em todas as suas vertentes.

quarta-feira, 12 de maio de 2010

sábado, 24 de abril de 2010

24 de Abril / 25 Abril 1974

Primeiro veio o medo... a ditadura...

...depois a guerra...
... a resistência...

... os que perderam a vida...

..."Chamava-se Catarina, o Alentejo a viu nascer"...

... "Vão dizendo em toda a parte: "o pintor morreu"...

...os que se organizaram...


...os que sonharam ser possível...


... os que lutaram na clandestinidade...


... os que se revoltaram...


... os que se uniram...

... os que avançaram...



... os que trouxeram a esperança ...

...finalmente a LIBERDADE para um povo amordaçado...


...voltar atrás? Nunca mais!
VIVA O 25 DE ABRIL!!!

sexta-feira, 23 de abril de 2010

Quase não tenho tempo para dormir...
Este Mar anda paradito, mas o meu mar de todos os dias anda agitado...
Sou uma Sal a derreter-se num mar de coisas grandes e pequenas para fazer...
Qualquer dia este blogue sai da hibernação... mas ainda não é agora...
Fiquemos com as palavras do sábio Eugénio de Andrade:

Sê paciente;

espera que a palavra amadureça

e se desprenda como um fruto

ao passar o vento que a mereça.

domingo, 18 de abril de 2010

Sophia sabia o que hoje sinto...

Bebido o luar, ébrios de horizontes,
Julgamos que viver era abraçar
O rumor dos pinhais, o azul dos montes
E todos os jardins verdes do mar.

Mas solitários somos e passamos,
Não são nossos os frutos nem as flores,
O céu e o mar apagam-se exteriores
E tornam-se os fantasmas que sonhamos.

Por que jardins que nós não colheremos,
Límpidos nas auroras a nascer,
Por que o céu e o mar se não seremos
Nunca os deuses capazes de os viver.

Sophia de Mello Breyner Andresen

terça-feira, 13 de abril de 2010

Pare, Escute, Olhe

Trailer Cinema "Pare, Escute, Olhe" from Pare, Escute, Olhe on Vimeo.

Jorge Pelicano atreveu-se a fazer um filme sobre o encerramento da Linha do Tua. Para tal, convida-nos a parar, e a observar atentamente quem são os responsáveis pelo atraso e desertificação do interior do país. Responsáveis políticos... pois quem haveria de ser?

E eles ali estão... Cavaco, Sócrates... E o "está quase" do Mexia... em cheio!

Eles sabem ao que andam.

Mas nós sabemos que eles sabem! E eles sabem que nós sabemos...

Por isso é que não nos dão tréguas.


terça-feira, 6 de abril de 2010

Durme...



..canção sefardita pela "mão" da Brigada Victor Jara.
Andei meses a cantá-la a uma certa menina...
Às vezes eu adormecia primeiro...
(Ossos do ofício... de ser mãe)

Adoro esta canção.
Vou ouvir outra vez...


sábado, 20 de março de 2010

Sem comentários...

... Simplesmente relaxante, esta Diana Krall, e o clássico "they can't take that away from me", de George Gershwin.
Talvez porque é sábado
Talvez porque chove
ou talvez porque sim!

terça-feira, 16 de março de 2010

Poema roubado por aí

Amor caecus est

Nunca mais te sentirei
frágil
de ternura
sussurrando ao coração.
Um grito surdo
guarda segredos na alma
tingida de dor profunda.
Devolve-me tempo
e pedaços de mim
que dançam,
perdidos,
Na prisão do teu olhar.

Mariana Montalcanto,
in

morceaux de fantasie

Mulher: da produção à fruição cultural

quinta-feira, 11 de março de 2010

Mar







Eram de longe.
Do mar traziam
o que é do mar: doçura
e ardor nos olhos fatigados.

Eugénio de Andrade







imagem criada em computador,
de autoria de Artur Rosa

segunda-feira, 8 de março de 2010

8 de Março - Dia Internacional da Mulher


1910
n 1910 a second International Conference of Working Women was held in Copenhagen. A woman named a Clara Zetkin (Leader of the 'Women's Office' for the Social Democratic Party in Germany) tabled the idea of an International Women's Day. She proposed that every year in every country there should be a celebration on the same day - a Women's Day - to press for their demands. The conference of over 100 women from 17 countries, representing unions, socialist parties, working women's clubs, and including the first three women elected to the Finnish parliament, greeted Zetkin's suggestion with unanimous approval and thus International Women's Day was the result.

sábado, 6 de março de 2010


Parabéns PCP.
89 anos!
Quem disse que este Partido está morto?
Está cada vez mais vivo, e a sua chama mais acesa, mais intensa a cada dia que passa!
E nós... que somos o Partido... "Festejamos Lutando".

terça-feira, 2 de março de 2010

sábado, 27 de fevereiro de 2010

Magalhães, Magalhães...


Ai que bom que era!
Agora as crianças já quase não sabem escrever pelo seu próprio punho, com um lápis na mão!
Mal "nascem" enfiam-lhes um Magalhães e elas, coitadas, teclam!
Estas lousas eram tão fixes!

domingo, 21 de fevereiro de 2010

O povo unido jamais será vencido

Eis como uma canção revolucionária pode inspirar outras músicas.
Aqui fica uma pequena amostra (a primeira parte) de uma obra de Rzewsky, com 36 variações sobre o tema.
Sublime!




Dedicado à Rita Lourenço.

terça-feira, 16 de fevereiro de 2010

Tempo

O tempo passa
ligeiro,
corre sempre para o mesmo lado
como um rio.
Nas suas margens vão ficando histórias,
restos de coisas,
recordações,
mágoas,
e o rio transborda de pressa,
depressa transbordante,
com a pressa dos segundos que correm
transparentes,
e não há quem lhe escape, ninguém.
Este rio impiedoso
não nos deixa remar de volta às infâncias doces,
nem aos beijos e gestos de outrora,
corre solenemente para um mar de tempo,
onde por fim,
teremos
todo o tempo do mundo!

domingo, 7 de fevereiro de 2010

Florbela Espanca


Fumo

Longe de ti são ermos os caminhos,
Longe de ti não há luar nem rosas;
Longe de ti há noites silenciosas,
Há dias sem calor, beirais sem ninhos!

sexta-feira, 5 de fevereiro de 2010

Fiz anos e nem dei por isso


No passado dia 18 de Janeiro o Mar sem Sal fez aninhos! 2 anos de vida de blogue!
E eu nem dei por isso.
Terei que admitir que estou a ficar velhota e já me esqueço das coisas??

"Parabéns para o Mar, Parabéns para o Mar, Parabéns para o Mar
Mas o bolo é para a Sal!"...

Obrigada a todos os visitantes. Gota a gota fazemos um mar de luta!

quarta-feira, 3 de fevereiro de 2010

Sem Comentários



Mas quem foi o génio que idealizou esta informação para deficientes motores?
E qual é o Governo "genial" que continua a assobiar para o lado sempre que se fala do cidadão com deficiência e dos seus Direitos?
Este país está cada vez mais parecido com uma selva capitalista, em que só interessa mesmo é ganhar o máximo possível à custa dos trabalhadores, antes que eles acordem.
Mas o povo às vezes é imprevisível...

terça-feira, 2 de fevereiro de 2010

"No fim a linha"

As palavras são de Mário Crespo.
Aqui fica a Crónica que não chegou a ser publicada no dia 1 de Fevereiro no Jornal de Notícias.
Divulgue-se ao máximo!
Portugueses: acordem!



Terça-feira dia 26 de Janeiro. Dia de Orçamento. O Primeiro-
ministro José Sócrates, o Ministro de Estado Pedro Silva Pereira,
o Ministro de Assuntos Parlamentares, Jorge Lacão e um executivo de
televisão encontraram-se à hora do almoço no restaurante de um hotel em
Lisboa. Fui o epicentro da parte mais colérica de uma conversa claramente
ouvida nas mesas em redor. Sem fazerem recato, fui publicamente
referenciado como sendo mentalmente débil (“um louco”) a necessitar de (“ir
para o manicómio”). Fui descrito como “um profissional impreparado”. Que
injustiça. Eu, que dei aulas na Independente. A defunta alma mater de tanto
saber em Portugal. Definiram-me como “um problema” que teria que ter
“solução”. Houve, no restaurante, quem ficasse incomodado com a conversa e
me tivesse feito chegar um registo. É fidedigno. Confirmei-o. Uma das minhas
fontes para o aval da legitimidade do episódio comentou (por escrito): “(…) o
PM tem qualidades e defeitos, entre os quais se inclui uma certa dificuldade
para conviver com o jornalismo livre (…)”. É banal um jornalista cair no
desagrado do poder. Há um grau de adversariedade que é essencial para fazer
funcionar o sistema de colheita, retrato e análise da informação que circula
num Estado. Sem essa dialéctica só há monólogos. Sem esse confronto só há
Yes-Men cabeceando em redor de líderes do momento dizendo yes-coisas,
seja qual for o absurdo que sejam chamados a validar. Sem contraditório os
líderes ficam sem saber quem são, no meio das realidades construídas pelos
bajuladores pagos. Isto é mau para qualquer sociedade. Em sociedades
saudáveis os contraditórios são tidos em conta. Executivos saudáveis
procuram-nos e distanciam-se dos executores acríticos venerandos e
obrigados. Nas comunidades insalubres e nas lideranças decadentes os
contraditórios são considerados ofensas, ultrajes e produtos de demência. Os
críticos passam a ser “um problema” que exige “solução”. Portugal, com José
Sócrates, Pedro Silva Pereira, Jorge Lacão e com o executivo de TV que os
ouviu sem contraditar, tornou-se numa sociedade insalubre. Em 2010 o
Primeiro-ministro já não tem tantos “problemas” nos media como tinha em
2009. O “problema” Manuela Moura Guedes desapareceu. O problema José
Eduardo Moniz foi “solucionado”. O Jornal de Sexta da TVI passou a ser um
jornal à sexta-feira e deixou de ser “um problema”. Foi-se o “problema” que
era o Director do Público. Agora, que o “problema” Marcelo Rebelo de Sousa
começou a ser resolvido na RTP, o Primeiro Ministro de Portugal, o Ministro de
Estado e o Ministro dos Assuntos Parlamentares que tem a tutela da
comunicação social abordam com um experiente executivo de TV, em dia de
Orçamento, mais “um problema que tem que ser solucionado”. Eu. Que
pervertido sentido de Estado. Que perigosa palhaçada.


Nota: Artigo originalmente redigido para ser publicado hoje (01/02/2010), na imprensa.

sábado, 30 de janeiro de 2010

Música para o Fim-de-Semana

Aqui está ela: Magdalena Kozena, cantora lírica de naturalidade checa, que tem conquistado o mundo com a sua incrível técnica, e a sua opção por bons repertórios.
Prémios não lhe faltam! Ouçam só esta "Aoua", de Ravel, inspirado em motivos exóticos e indígenas - na óptica dos mais fracos que tiveram que se vergar perante o homem branco.


quinta-feira, 28 de janeiro de 2010

recebida por email-porque às vezes faz-nos bem rir!

Numa dada noite, três estudantes universitários beberam até altas horas e não estudaram para o teste do dia seguinte.

Na manhã seguinte, desenharam um plano para se safarem. Sujaram-se da pior maneira possível, com cinza, areia e lixo. Então, foram ter com o professor da cadeira e disseram que tinham ido a um casamento na noite anterior e no seu regresso um pneu do carro que conduziam rebentou.
Tiveram que empurrar o carro todo o caminho e portanto não estavam em condições de fazer aquele teste.
O professor, que era uma pessoa justa, disse-lhes que fariam um teste-substituição dentro de três dias, e que para esse não havia desculpas. Eles afirmaram que isso não seria problema e que estariam preparados.
No terceiro dia, apresentaram-se para o teste e o professor disse-lhes com ar compenetrado que, como aquele era um teste sob condições especiais, os três teriam que o fazer em salas diferentes.
Os três, dado que tinham estudado bem e estavam preparados, concordaram de imediato.
O teste tinha 6 perguntas e a cotação de 20 valores.
Q .1. Escreva o seu nome ----- ( 0.5 valores)
Q.2. Escreva o nome da noiva e do noivo do casamento a que foste há quatro dias atrás ---(5 valores )
Q.3. Que tipo de carro conduziam cujo pneu rebentou.--( 5 valores)
Q.4 . Qual das 4 rodas rebentou ------- ( 5 valores )
Q.5. Qual era a marca da roda que rebentou ---- (2 valores)
Q.6. Quem ia a conduzir? ------ (2.5 valores)


Ok, ok...eu sei que é uma piada parva, mas na altura achei graça....

terça-feira, 26 de janeiro de 2010

Haiti

Dói-me falar sobre o Haiti, e até agora tenho estado calada, porque já chega de tanta dramatização orgásmica e holliodesca televisiva.
Já basta a brutal tragédia.
Sobre um Haiti moribundo muitos abutres vão já pousando.
Alguns países enviaram médicos, enfermeiros, comida, roupa, medicamentos..
Outros países como os EUA enviam soldados... para começar a preparar a ocupação, vendo no Haiti uma fonte de rendimento bilionária assim que comecem a chegar os subsídios para reconstruir o país...
Há abutres que metem mais nojo que o próprio animal com esse nome.

sexta-feira, 22 de janeiro de 2010

E esta, heim?? Que delícia!

Gosto especialmente do pormenor do puto a fumar... :-)
E a música é demais...
E no fim...
Vão-se embora...
É mesmo giro!

terça-feira, 19 de janeiro de 2010

Eugénio de Andrade faria hoje 87 anos

Não há palavras para descrever a poesia de Eugénio, senão as suas próprias, tão certeiras, tão verdadeiras. Brindo a ti, Eugénio de Andrade, meu poeta preferido.
Andava eu no 5º ano, com os meus 10 anitos, juntava-me às minhas colegas nos intervalos, mas na altura não tínhamos ipod's, nem telemóveis, nem sms's, nem namorados, nem internet.
Juntas, nos intervalos, cantávamos, corríamos umas atrás das outras, e às vezes escrevíamos poemas de uns caderninhos cor-de-rosa para os outros, com dedicatórias infantis, de juras de eterna amizade - sem saber o quão efémera é esta passagem pela vida.
Um dia, recordo-me, uma colega trouxe este poema, e eu passei-o logo para o meu "caderno de poemas" oficial, que andava sempre na minha mochila, não fosse aparecer um poema interessante e eu sem caderno.
E foi assim que conheci Eugénio de Andrade. Li e reli o poema até o saber de cor, para anos mais tarde me lembrar dele, sempre que penso na minha infância.


Adeus

Já gastámos as palavras pela rua, meu amor,
e o que nos ficou não chega
para afastar o frio de quatro paredes.
Gastámos tudo menos o silêncio.
Gastámos os olhos com o sal das lágrimas,
gastámos as mãos à força de as apertarmos,
gastámos o relógio e as pedras das esquinas
em esperas inúteis.

Meto as mãos nas algibeiras
e não encontro nada.
Antigamente tínhamos tanto para dar um ao outro!
Era como se todas as coisas fossem minhas:
quanto mais te dava mais tinha para te dar.

Às vezes tu dizias: os teus olhos são peixes verdes!
E eu acreditava!
Acreditava,
porque ao teu lado
todas as coisas eram possíveis.
Mas isso era no tempo dos segredos,
no tempo em que o teu corpo era um aquário,
no tempo em que os teus olhos
eram peixes verdes.
Hoje são apenas os teus olhos.
É pouco, mas é verdade,
uns olhos como todos os outros.

Já gastámos as palavras.
Quando agora digo: meu amor...
já não se passa absolutamente nada.

E, no entanto, antes das palavras gastas,
tenho a certeza
de que todas as coisas estremeciam
só de murmurar o teu nome
no silêncio do meu coração.

Não temos nada que dar.
Dentro de ti
Não há nada que me peça água.
O passado é inútil como um trapo.
E já te disse: as palavras estão gastas.

Adeus.

Música para meio da semana...



O grupo romeno Taraf de Haidouks, é simplesmente fenomenal... e ao vivo é ainda mais impressionantes, como já tive ocasião de verificar...

As imagens são belíssimas.

sexta-feira, 15 de janeiro de 2010

Num rio que desapareceu... ou não?

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco
conheço tão bem o teu corpo
sonhei tanto a tua figura
que é de olhos fechados que eu ando
a limitar a tua altura
e bebo a água e sorvo o ar
que te atravessou a cintura
tanto tão perto tão real
que o meu corpo se transfigura
e toca o seu próprio elemento
num corpo que já não é seu
num rio que desapareceu
onde um braço teu me procura

Em todas as ruas te encontro
em todas as ruas te perco.

poema Mário Cesariny
Foto: Carlos Canhoto

terça-feira, 12 de janeiro de 2010

Música para meio da semana...

Puccini é um dos meus compositores preferidos, já aqui o disse.
A "Tosca" é outra daquelas óperas, que, tal como "Turandot", ou "Madame Butterfly", nos deixa colados à cadeira, a vibrar com a quantidade de emoções por minuto, enquanto à nossa frente desfila uma história arrebatadora, uma música fantástica, carregada de subtilezas, mas também de energia no seu estado puro... Uma ópera de Puccini não é para corações fracos...
Deixo-vos o final da Tosca, se quiserem conhecer-lhe a história vão aqui, dada a minha falta de tempo para hoje vo-la explicar.... Vale a pena.
Uma Tosca cantada pela Angela Gheorghiu é algo que não se pode esquecer...

sábado, 9 de janeiro de 2010

Música para o Fim-de-Semana



Sempre a eterna Aziza, incrivelmente dotada, fantástica nesta versão do standard de autoria de Dave Brubeck: "Take Five"....

Ele + Ele = Casamento

Lei aprovada! Até que enfim.
Casamento entre pessoas do mesmo sexo!
Portugal hoje deu mais um passo no caminho da libertação das mentalidades...
Um pequeno passo, mas um grande salto para a nossa sociedade.
Agora vem o resto.
Acabar com o preconceito, infelizmente, não se consegue de um dia para o outro.

domingo, 3 de janeiro de 2010

Mensagem de Ano Novo de Sª Excª a Presidente deste Blogue

Caros amigos, conhecidos, desconhecidos e inimigos:

2010 chegou de mansinho... Já hoje é dia 3...
Daqui a poucos minutos será dia 4...
Temos a impressão que tudo passa tão rápido nesta vida... à excepção do governo do Sócrates, e a presidência do Cavaco... Essas parecem nunca mais acabar...
Já não podemos mais com tanta corrupção, hipocrisia e roubalheira!
Sabiam que o Governador do Banco de Portugal, Dr. Vitor Constâncio, ganha 250.000 euros anuais e o responsável do Banco Central dos Estados Unidos ganha 140.000 euros anuais?
Sem comentários!
É por isso que em 2010 não podemos baixar os braços. Vamos lutar contra este estado de coisas. Este país é de todos os trabalhadores, e não de clientelas seleccionadas, "vitores constâncios" que, com os seus vergonhosos vencimentos anuais tão elevados, pregam a torto e a direito contra o aumento de salários...

Quem quiser um 2010 com menos pobreza,
menos exclusão social e mais protecção no desemprego pode assinar esta PETIÇÃO.(clicar na frase)

Eu já assinei!
Não posso começar um ano novo a encolher os ombros e a suspirar que vai ser sempre tudo igual...
Não vai!
Depende de mim. Depende de nós.
É por isso que volto a desejar a todos um Bom Ano de 2010!

Tenho dito.