sábado, 4 de abril de 2009

De Regresso...

Nascer de ti


Queria esquecer quem fui

Apagar todas as pegadas

Desprezar todos os nomes

Queria viver sem memórias

E nascer na tua boca

Sempre que me pronunciasses

Queria renascer como Vénus

Na concha das tuas mãos

Nos teus lábios brotar

Toda a minha alma

Repleta de ti...

poesia de Madalena Palma
para quem se achar digno de a entender...

6 comentários:

Maria disse...

Que poema fortíssimo!
É a primeira vez que leio Madalena Palma. Ignorância minha... vou pesquisar no google...

:))
Beijos aos 3

Antuã disse...

De regresso de Belgais e de grande azáfama.

Anónimo disse...

Lindo!!!


Campaniça

duarte disse...

eu na percebi nada...
a simbiose é.basta vivê-la...
abraço do vale(atarefado)

samuel disse...

Bonito!
Belo regresso...

Abreijos.

Lúcia disse...

Ai que regresso Sal! Que lindo!
Vieste renascida, já vi:))
Bejocas a todos