terça-feira, 10 de novembro de 2009

Muros e Rios

Um dia escreveu Brecht:

Do rio que tudo arrasta se
diz que é violento
Mas ninguém diz violentas as
margens que o
comprimem


Hoje ouvi falar mil vezes na queda do muro de Berlim. Ouvi mil vezes a estória do povo da RDA, então, "libertado" da sua prisão.

Foi fácil falar, condenar, apontar o dedo, vociferar, até. Mas ninguém se preocupou em vêr um pouco para além do óbvio - é claro que não concebemos construções de muros para impedir pessoas de circular. Mas quem se preocupou em falar sobre a pressão do grande Capital sobre a Alemanha oriental, e as suas múltiplas formas de aliciar os seus bem formados profissionais para deixarem a RDA? Porque razão condenam de forma tão agressiva um muro, e não condenam uma base militar como Guantanamo? Quantos mortos há em Guantanamo? Quantos presos ilegais sujeitos a tortura? Guantamo existe, hoje, agora, enquanto escrevo. E a violência contra a Palestina? Quantas crianças morreram já? Quantas vão morrer ainda? A Palestina existe, agora, hoje, enquanto tu lês este post.

O grande Capital sabe bem onde quer chegar e qual o caminho a seguir.
Esse sim.
É o verdadeiro responsável pela violência das águas. E por toda a podridão do mundo.

5 comentários:

Maria disse...

E por todos os muros que existem ainda e que devem ser derrubados. E pelos outros que estão a pensar construir.
Hoje cansei-me do muro e dos 20 anos. Falaram como se não houvesse mais nenhum... e o maior, o mais obsceno, tem um nome: FOME. E são eles os responsáveis.

Beijinho, Sal

Membro do Povo disse...

E porque escondem que o povo da Alemanha oriental afirma que teve uma vida melhor na RDA? A hipocrisia do capital não tem limites!

Miguel Botelho disse...

Excelente o texto!

É este tipo de raciocínio que falta a alguns senhores, como do blog "Cinco Dias", "Arrastão", etc...

A falsidade desta gente que fala no comunismo e na queda do muro, faz-me pensar em mais perguntas:

Quantas mais crianças vão nascer com defeitos físicos e mentais, à conta do emprego de armas químicas, no Iraque?
Quantos mais inocentes vão morrer no Paquistão e no Afeganistão, à conta do chamado "fogo amigo" dos soldados americanos e ingleses?
Quantos mais palestinianos terão de pagar a barbárie cometida por israelitas e patrocinada pelos americanos?
Quantas mais armas nucleares construirá Israel, à revelia do tratado de não proliferação de armas nucleares?
Quantas mais bases militares americanas serão construídas para policiar o Mundo?
Quanto mais lixo tóxico nuclear será depositado pelos EUA nos oceanos Atlântico e Pacífico, sem que os outros países saibam?

E esta para acabar...

Para quando a implosão ou o fim dos Estados Unidos da América, para que todos, mas todos, possamos viver em paz?

Fernando Samuel disse...

Gostei. Muito.

Um beijo.

Hilário disse...

Muito bom texto.
Um Abraço