quinta-feira, 21 de maio de 2009

Crónica sobre a Igreja, a Educação Sexual e a irmã Lúcia

A actualidade está marcada por várias notícias mais ou menos bombásticas. Ele é a professora de Espinho que falou de sexo em tons menos próprios numa aula - tema logo aproveitado pela extrema direita para enfernizar a cabeça de toda a gente com a necessidade de retirar a disciplina de Educação Sexual das escolas. Para o CDS é assim: não se fala de sexo e pronto! Ele vai acontecendo à vontade do freguês, é isso? Ou... fazem como o Morgado, que ficou capado? Falar é que não. Ponto.
Depois foi o escândalo que rebentou na Irlanda, com um relatório que põe a nu a podridão das instituições católicas irlandesas, que durante anos a fio, foram palco de sucessivos actos de abusos sexuais sobre os menores das instituições.... Terei ouvido bem? Instituições católicas?
Não surpreende. Com tanta repressão, as pulsões sexuais que todo o ser humano tem e que já foram biologicamente (e amplamente) estudadas, tinham de ser canalizadas para algum lado.
Da pior maneira, como sempre. Cada país tem o seu caso "Casa Pia".
Por fim, entre outras notícias que por aí abundam, ouve-se falar no processo acelerado de beatificação da irmã Lúcia... mas antes... ainda tem de ver mais umas "graças", terei ouvido bem? Dei por mim a pensar que este modelo de sociedade que temos empurra as pessoas cada vez mais para situações limite, de desespero. Desemprego, alcool, e ... é fácil cair na tentação de se julgar a salvo por se ir à igreja, por se dar uma contribuiçãozinha para o padre, mas, quando vamos a ver, quando vamos cavar o que está escondido por baixo de todo este ciclo, descobrem-se todas as feridas abertas, toda a podridão não diria do Homem, mas da igreja, que:
1-não está a favor - tal como o CDS - que haja Educação Sexual nas escolas; logo, predispõe os jovens para uma vivência da sexualidade sem orientação, desgarrada, de qualquer maneira, num obscurantismo que faz lembrar outros tempos;
2-é uma igreja cujo lema é "faz o que eu digo, não faças o que eu faço". Que tenha vergonha e peça desculpas pelos horrores e traumas causados a tantas crianças;
3-é uma igreja que tem necessidade de se afirmar, de se manifestar ideologicamente, sabendo que não o faz inocentemente; sabendo que aglutina opiniões das pessoas mais fragilizadas, mais vulneráveis;
4-é uma igreja que não contribui para a emancipação do Homem. Pelo contrário, deste espera apenas que seja submisso à palavra de Deus, ignorando que há neste mundo quem ande a brincar a fazer de Deus, subjugando milhões de pessoas (trabalhadoras). Mas a essas nada diz... Pois as ofertas são chorudas e não devemos "maçar" quem nos financia....
A Igreja sempre foi política. Sempre se imiscuiu nas escolhas dos homens, sempre fez pressões para que certas coisas acontecessem de determinada maneira e outras não.

Pergunta final, (nem sei se alguém conseguiu chegar até aqui):
- Vamos ter mais notícias bombásticas nos próximos tempos, certo? Que envolvam santos, sexo, professores e sei lá mais o quê... Tudo vai servir para desviar as atenções do principal?
Será que alguém se vai preocupar em saber os programas dos vários partidos ao Parlamento Europeu?
Com tanto foguete lá em cima, é capaz de não se vêr a procissão cá em baixo.
E com esta me calo, que hoje já estou a precisar de dormir.

Ah. Quanto à irmã Lúcia, pode ser que ela faça o milagre de convencer o Senado nos EUA a dar o dinheiro necessário ao Obama para que se possa finalmente fechar a prisão de alta segurança dos EUA em Guantanamo. Ela que faça a "graça" de acabar com as torturas, a injutiça, as violações dos Direitos Humanos...
Aí sim. Isso é que valia a pena beatificar.

10 comentários:

Maria disse...

E os "piratas" também. Que nos refrescam quando temos as goelas secas...
:))

Beijinhos
(pode ser tb o perna de pau...)
:))

salvoconduto disse...

Nem mais. Subscrevo.

Maria disse...

Quanto a Guantanamo... espera sentada, Sal. Para não te cansares muito...

Outro beijo e até sábado!

linhadovouga disse...

Grande malha!

Fernando Samuel disse...

Direitos humanos?: não, a Irmã Lúcia está mais fadada para pequenas graças - e graçolas...


Um beijo.

O Profeta disse...

Este mistério da luz
Incessantes são as marés da vida
Este tempo que corre firme em frente
Não há lugar na lembrança para a partida

Porque da próxima vez
Quero ser palhaço e brincar com a dor
Aprisionar a tristeza em balões de cor
Soltar as cordas que prendem o amor

Uma esplendorosa quinta feira



Mágico beijo

Nunes disse...

Concordo com este texto.
Confesso que nunca vi nada mais bárbaro e medieval como a nossa pequenina instituição católica. Bastou ver as comemorações dos 50 anos do Cristo Rei e o aproveitamento religioso e político que fizeram.
Quanto aos acontecimentos com a professora de Espinho, concordo com o Juvenal do "Olhar à esquerda". A RTP e os outros canais estão a ajudar o governo a fazer a sua campanha contra os professores.
Quanto ao pudor e moralismo do CDS-PP, e ao facto de não quererem falar de sexo, recordo-de daquela frase lapidar de Maria José Nogueira Pinto, “Você sabe que eu sei que você sabe que eu sei que você sabe”... algo assim que possivelmente esconde uma certa aventura sexual ligada a qualquer figura pública, também ela muito moralista e dada à religião católica.

Lúcia disse...

Deste forte!
Mas é mesmo assim, Sal!Tal e qual!Adorei a força do dsicurso!
Não te doem as mãos? Ainda bem.
Beijos

Zorze disse...

Sal,

A tua crónica é crónica no meio em que vivemos.
Gostei, é parcialmente correcta e concordo com a linha geral do que escreveste.

Tenho apenas a reparar o comentário do Fernando Samuel.
Meu caro, ninguém sabe tudo!
A pequenota Lúcia asfixiada por "uma das" maiores organizações criminosas do planeta a Igreja Católica, morreu de velhota, coitada.
Veja-se a idade em que foi captada como meio catalisador de projecção de interesses obscuros, a época em que vivia e a conjectura social em que esta mestra - à época - na cadeira de trabalho "duro" infantil se viu envolvida.
Uma gigantesca e bem oleada doutrina a converteu numa manipulação tremenda.
A pastorinha já morreu e não tem hipótese de se defender como em vida não teve.
As graçolas ...?

Às vezes metemos a pata na poça. Acontece a todos.

Beijos,
Zorze

samuel disse...

Grande malha!

Abreijos.