quinta-feira, 3 de julho de 2008

Haja estômago para ser português

Sócrates anda entusiasmado com a sua própria obra. O nome mais correcto para este indivíduo seria Narciso, dado o seu gosto pela sua própria pessoa. O Primeiro-Ministro deste país acha que tudo vai de vento em popa, por cá.
Mas na verdade, Sócrates vive numa realidade à parte de todos os outros portugueses.
Este não é o país do desenvolvimento: é o país das assimetrias entre interior e litoral, entre norte e sul;
Este não é o país das novas oportunidades: é o país do desemprego a aumentar;
Este não é o país do simplex: é o país da burocracia, do mete-medo-ao-contribuinte;
este não é o país da segurança: é o país da instabilidade laboral, da vassalagem a novos códigos de trabalho que vão afundar mais na lama quem já está com a lama pelo pescoço;
Este não é o país do Berardo: é o país do Parque Arqueológico de Foz Côa que não tem orçamento para fotocópias a cores;
Este não é o país da Justiça: é o país que vê morrer um polícia em trabalho, quando a moto onde circulava se parte a meio por ser velha, sem que ninguém se tenha ainda preocupado em indemnizar a viúva e os seus filhos menores.

Este é o país do Sócrates.
Não é o país que queremos.

7 comentários:

salvoconduto disse...

Este país não é uma coutada: é um país de onze milhões de habitantes que estão fartos, fartinhos de Sócrates e afins.

samuel disse...

Realmente, este não é o país de Sócrates!
Pena que o fdp não enxergue a coisa e se ponha a andar...

Antuã disse...

Este país que passa fome de todo o tipo é mesmo o país de Sócrates. E não há quem faça um chazinho de cicuta!...

Lúcia disse...

Tens razão, Sal: é tudo isso este país. E sabes o que me incomoda? Além de outras coisas, que nas eleições seja substituido pela velha senhora.
beijinhos

Fernando Samuel disse...

O «país» do Sócrates é este em que vivemos e nas condições em que vivemos...
Depois «virá» o nosso País, que teremos que conquistar - e conquistaremos...

Um beijo

Maria disse...

Um dia, um dia, Sal, vamos ter o país que queremos, o "nosso" país, aquele por que lutamos e continuaremos a lutar, todos os dias.
Um dia....

Beijinho, Sal

XICA disse...

Gostaria muito que o Salvoconduto tivesse razão, mas bem me parece que não, só as próximas eleições o dirão - a ver vamos - dizia o cego, nunca mais enxergava nada.