sábado, 5 de julho de 2008

Música para o Fim-de-Semana

É simplesmente, absolutamente fantástica , esta obra do compositor impressionista Claude Debussy, que é, definitivamente, um dos meus compositores favoritos.
Plena de sensualidade, esta obra escrita a partir de um poema de Mallarmé, e estreada em Paris em 1894, dá pelo nome de "Prélude à l'aprés-midi d'un faune", que poderá ser traduzido para "Prelúdio à tarde de um fauno" (também já vi versões que dizem "à sesta" de um fauno, apesar de não ser o mais correcto...). Por hábito profissional prefiro sempre referir-me aos nomes das obras na língua original, e é certo que em francês este "Prélude" é muito mais sensual, é mais evocativo da cena que pretende retratar: um fauno, um desses seres que habitam os nossos bosques, meios homens, meios animais, cheio de desejos, a acordar, na languidez da tarde quente, perseguindo as ninfas assustadas, rindo, brincando... ih ih..

Aqui ficam 10 minutos plenos de beleza e originalidade enquanto a Berliner Philharmoniker Orchestra toca Debussy, dirigida por Simon Rattle.

7 comentários:

salvoconduto disse...

Pura e simplesmente magia.

Justine disse...

...rindo, brincando, etc., etc.
Concordo com a tua apreciação, é uma peça deliciosa.
Vamos lá ouvi-la, de novo :))
Beijo

Fernando Samuel disse...

Então, depois desta pequena-grande maravilha, vou continuar com Debussy: La Mer: achas bem?
Obrigado por mais esta prenda de fim-de-semana.

Um beijo amigo.

linhadovouga disse...

Uma das mais belas conquistas da história da música. Sublime. Grande escolha.

poesianopopular disse...

´Camarada
É por estes pequenos actos solidários, que nós somos realmente diferentes.
Bjos e abraços para o trio!

samuel disse...

Imagino as centenas de jardins públicos que há por esse país fora e que à semelhança do de Montemor, por vezes levam tardes inteiras a passar música pimba nas colunas de som... e pergunto-me...
Qual seria o efeito de umas tardes suaves, ao som de música desta "estirpe", nas conversas, nas caras das velhotas e velhotes que por ali passam horas sentados e nas brincadeiras por vezes algo abruptas das crianças...
Eu sei que passaria a atravessar o jardim bem mais lentamente.

Jcunha disse...

Uma das peças mais belas jamais escritas sem dúvida.

Stora consegui encontrar o seu blog! Tava a ver que não... Agora também tenho uma coisa desta (é só modernices, eheh). Se quiser passar por lá os olhos é jcunha.blogs.sapo.pt. Faça como se estivesse em sua casa (e provavelmente está...)

Cumprimentos joao.