quarta-feira, 19 de março de 2008

Barba preta


Depois de ler um comentário feito num dos posts anteriores fiquei, por momentos, sem palavras.
Tenho, obrigatoriamente, que deixar aqui uma mensagem ao Sérgio da barba branca, que já foi preta, e que num video que aqui coloquei, saía da prisão de Caxias a 26 de Abril de 1974.

Sérgio:
Nem sei o que te dizer.
Eu nunca passei por nada do que tu passaste, e aquelas imagens mexem comigo.
Calculo, pois, o que não significam para ti e para outros que viveram na primeira pessoa a repressão da ditadura fascista.
São lágrimas inevitáveis, camarada.
Choro contigo.

Mas que o nosso choro não seja senão
a busca da serenidade que precisamos para continuar a lutar.
Porque a luta...
continua...

3 comentários:

poesianopopular disse...

Que seria de nós, se não fosse a nossa luta?
De nós, e de outros que, benificiando da nossa luta, ainda não perceberam que votando, como nós o socialismo ficaria mais próximo!
Já era tempo das pessoas fazerem as roturas que fazem a diferença!
José Manangão

Maria disse...

A todos os Sérgios e Marias e Manéis e Zés e Joanas que sairam das prisões em Abril de 74 a minha homenagem.

Todos eles, sem excepção, caminham ao nosso lado, porque só assim faz sentido, porque A LUTA CONTINUA.....

Um beijo, Sal

Sérgio Ribeiro disse...

Obrigado, Sal e mais e mais.
E juntos aos referidos pela maria os que sairam antes, e que estiveram lá anos e anos, e os que não estiveram mas que correram riscos que lá os poderiam ter levado. A todos os que lutaram.
E não me façam chorar mais que por hoje já chegou...
Até amanhã... a luta continua. Contínua!