terça-feira, 11 de março de 2008

Cavalos-de-Tróia

Isto nunca esteve como está.
Tem sido evidente o ataque constante ao PCP, principalmente depois do dia 1 de Janeiro. Talvez porque a onda de contestação na área da saúde subiu uns quantos decibéis, culminando com a retirada estratégica do Correia de Campos, substituido por esta Ana Jorge, para fazer exactamente a mesma coisa. Para deixar os ânimos arrefecer, e manter as mesmas (desgraçadas) políticas.
Os decibéis subiram noutro sector, entretanto. Na Educação, uma já inqualificável Maria de Lurdes Rodrigues tem vindo a deixar cada vez mais indignada a classe docente. Do básico ao superior, não há professor que não a odeie, apesar de não se poder levar isto para o lado pessoal. É certo que, ajudaria bastante, se ela não tivesse aquela cara de quem comeu um rato e só descobriu depois.
Entretanto, o eleitorado do PS, que também é constituído por professores descontentes, mais os utentes vítimas de encerramentos compulsivos de serviços de saúde, mais os funcionários públicos, mais os eteceteras que forneceram ao Sócrates a sua maioria absoluta, toda esta gente, dizia eu, corre o risco de se virar para um partido sério mais à esquerda. Um partido que realmente defende o socialismo, isto é, o PCP.
O PS, então, acossado, põe em marcha o seu habitual plano: desviar as atenções e afirmar que dentro do PS de Sócrates também há um Alegre, uma Roseta, mais à esquerda, supostamente. É pura ilusão.
No entanto, Parece-me que a estratégia "Alegre" já não está a funcionar em pleno, como funcionou nas presidenciais. O "cavalo-de-tróia" Manuel Alegre já antes foi utilizado como almofada de impacto, para absorver o descontentamento popular contra o PS Socretino. Como agora não tem resultado estão a "limar" (e eu disse "limar", mas podia ter dito "limpar") a imagem da senhora Ana Benavente, a colocar-lhe uma aura de "esquerda" dentro do PS, para daqui por uns dias ou semanas colocarem a Maria de Lurdes na rua e substituirem gato por gato, isto é, pela Ana Benavente. Ou não será de estranhar esta senhora agora aparecer com tanta frequência nos meios de comunicação social?

5 comentários:

poesianopopular disse...

Sal
Gostava de ter escrito, o que tu aquí escreveste, porque é exactamente isto que eu penso!
Felicito-te
Bjo
José Manangão

Mide disse...

Mesmo que não vá para ministra, a Benavente serve precisamente para a mesma função que o Alegre: simular um outro PS. Para que o descontentamento dentro do eleitorado de esquerda não saia do PS, sobrettudo porque 2009 está próximo. Repara que, nos últimos dias (a propósito da Marcha da Inignação, p. ex.), o Alegre foi entrevistado entre outros dirigentes partidários, como se, de facto, tivesse um partido (que, no momento do voto e noutros, será exactamente o mesmo que o de Sócrates). Chegam a sugerir que a maior oposição a estas polítcas vem desse PS! O António Vitorino, ontem, esteve a desempenhar a mesma função na RTP. A nós, compete-nos continuar a denunciar a estratégia vergonhosa. E a lutar, claro!

Antuã disse...

Temos que denunciar todos estes facínoras fascistas. Tem razão o Augusto quando disse em Chaves que não se consegue ver a diferença entre fascistas e "democratas" do PS, claro.

Fernando Samuel disse...

É bem possível que, de facto, um dia destes a «contestatária» Benavente ocupe a pasta da Educação...
Quanto às «críticas» do Alegre ao governo do Sócrates: são iguais às «críticas» que o mesmo Alegre fez ao governo do Guterres, ou seja, quando um governo do PS começa a provocar descontentamento geral, o Alegre entra de serviço mascarado de «esquerda»...

zambujal disse...

Estas nossas análises e estes nossos vaticínios são prova de cabeça arrumada. O pior são as cabeças desarrumadas, as do ciclo ilusão-desilusão. Por isso, a nossa tarefa tem de ser a de permanente, insistente, "chata" (mas tolerável!) pedagogia. Ou seja, o lado fundamental da tomada de consciência da luta de classes.
Gosto de te ler.