quinta-feira, 8 de maio de 2008

A propósito de Victor Jara

O verme que escreve para o DN e para a Sábado, e que foi já aqui referido (ver post Carta ao provedor do DN), bem pode rebentar, como os demónios, quando se lhes atira água benta. Se alguém lhe quiser enviar este mp3 está à vontade para o fazer. O verme até disponibiliza o seu email nas páginas onde escreve. Aviso desde já que o homem não gosta de música de intervenção, nem do Victor Jara. Eu, por mim, já lhe enviei um mp3 do tema "El aparecido", que Victor Jara dedica a Che Guevara.


Para vós, deixo-vos um exemplar audio do lindo "Duerme Negrito".




15 comentários:

Anónimo disse...

no passdo Novembro,na festa de aniversário dos 10 anos do meu coro infanto/juvenil ( "Oficina do Canto"), os "meus meninos" cantaram esta mesma canção. Lindo!!!
beijocassssss
vovó Maria

Sal disse...

Vovó Maria:

tem que me arranjar a partitura!

beijinhos

Lúcia disse...

Porque é que há tanta actualidade nestas canções, cantadas num tempo e espaço diferente? Sempre lindas e tão terrivelmente modernas...

Sal disse...

É verdade, Lúcia.
E depois de ter visto o noticiário, ainda noto mais a sua actualidade.
Infelizmente vivemos num mundo cão.

bjs

poesianopopular disse...

Sal
O Mundo não é cão!
Tem é cães a mais, e alguns muito raivosos.
Obrigado amiga, por este "negrito" do victor Jara que continua bem vivo, e a incomodar muito cão.
bjos
Manangão

au loin disse...

Sempre esse teu leve toque personalizado q adoro!
O poema também é uma delicia... seria mt mais interessante ser nuvem no ceu q poeira do chao!
obrigado por tudo q nos ofereces.
xau bella ;)

Anónimo disse...

dia 22, trocamos "cromos" chez Justine :)!
beijocassssss
vovó Maria

DelfimPeixoto disse...

Concordo com A Sal... também quero! Já agora, será que ele gostará de Zeca Afonso?

Maria disse...

Parece que lá tenho eu que levar a minha colacção de cromos...
ah, não é cromos, é autocolantes.... :)))))
Sal, logo à meia noite sai mais um sobre Victor Jara.
É que esse bípede que escreveu a propósito anda a meter-me demasiado nojo...
Agora estou a assistir a outro "nojo", na AR...

Beijos

Antuã disse...

Maria, em virtude de coisas inadiáveis não pude acompanhar o debate na AR. Todavia, sei que o próprio Socretino afirmou que há razões para censurar o governo. E mesmo assim!... Os instalados!... percebes, não é?!...

Mide disse...

Que este verme nos sirva de pretexto para voltar a ouvir Victor Jara, óptimo. Que estejamos a dar ao verme uma importância que ele não tem, é melhor não.
Bela escolha.

DelfimPeixoto disse...

A Professora Doutora Elia Lessa é a minha orientadora de tese de Mestrado... felizmente!

Sal disse...

Manangão:

O problema deles é precisamente esse: apesar de morto V.Jara ainda os incomoda.

Au loin:
Gostei muito do que disseste, e concordo inteiramente: "é muito mais interessante ser nuvem no céu do que poeira no chão"... Xau belle.

Vovó Maria:
...combinado!

Delfim Peixoto:
Bem vindo ao Mar sem Sal (um músico é sempre bem vindo).
Se calhar o verme não aprecia... Por isso... :-)))


Maria:
Quem tem corações sensíveis (como nós) não pode ver a AR...
Cá em casa já estive para partir a televisão algumas vezes...

Antuã:
Infelizmente parece que o zé povinho por vezes só pensa em futebol e, por estes dias, em Fátima...
(Quando é que acordarão?)

Mide:
Gostaste do Durme negrito? Eu também.
E do ponto de vista prático também é interessante... Amplia o nosso reportório de canções de embalar, tão necessárias de vez em quando...
LOL

Delfim, outra vez:

Já me cruzei com ela. Está em boas mãos, mas isso já deve saber.
Votos de bom trabalho.

Antuã disse...

Já disse isto noutro canto, mas cá vai. A Senhora de Fátima diz que faz milagres, é careira, adora o sofrimento popular e nunca se viu lá um milagre. Sem milagres os cegos vão a Cuba e, por pouco mais que o dinheiro da viagem, voltam a ver. Como dizia Jesus, que não tinha nada a ver com a padralhada (ou não fossem os sacerdotes os seus grandes inimigos), "quem tiver ouvidos para ouvir, ouça".

o terrorista disse...

A música de Jara é demasiado boa para os ouvidos do energúmero. Eu era mais partidário de se lhe dar uma sinfonia de merda pela cabeça abaixo...