sexta-feira, 16 de maio de 2008

Terrorista no avião...

Este cartoon foi roubado ao Anterozóide.
Comentário lido por lá: "Para que é o paraquedas? :-)
Subscrevo.

14 comentários:

Andreia do Flautim disse...

lol!

Lúcia disse...

Humor negro, logo de manhã..
Boa!
Beijos

Anónimo disse...

paciência para continuar a aturá-los ???????......
beijocassssss
vovó Maria

samuel disse...

Seria uma queda quase tão grande como a da sua credibilidade...

Maria disse...

A nossa capacidade de fazer humor é incrível....

Justine disse...

:))

Anónimo disse...

Minha cara senhora, se persistir em ridicularizar, com recursos seus ou emprestados, a excelsa figura do nosso primeiro ministro e a sua exemplarpolítica, procederemos ao encerramento sumário do seu blog. Este é um aviso que já tivemos oportunidade de lhe endereçar e que reiteramos.

Mide disse...

Desculpa a brincadeira... fui eu... ...ali atrás... no comentário anterior...

Sal disse...

Estúpido!

viriato disse...

Não vem ao caso, a não ser por interposto comentário no blogue do Samuel: mas afinal que tens tu contra os gajos de Ílhavo (não é despeito pelo teu despeito, apenas curiosidade).
Beijinhos virtuais.
Ah, e gostei do Mar que não é sem sal, é da Sal.

Anónimo disse...

porque é que perdemos tempo e largura de banda com um "fait divers"?

João (embora anónimo)

Sal disse...

Andreia:
Lol, não é?..

Lúcia:
Humor é sempre bom Já há tão poucos motivos para rir...

Vovó Maria:
Há muito que a minha paciência se foi...

Samuel:
Eu gostaria que a queda da credibilidade do Socas fosse meeeeesmo grande. Que descesse até ao inferno.

Maria:
rir é bom. Do Sócrates é ainda melhor.

Justine:
:))))))))))))
Gostei do teu sorriso!

Mide:
brinca quando quiseres. Desde que avises logo a seguir, senão a GR faz logo uma petição pelo meu blogue (Estou a brincar, GR!...)

Viriato:
Bem vindo ao Mar.
Ãhmm, a "terra da lâmpada" não é a minha cidade favorita. Nem minha nem das terras circundantes...
Questões antigas...
A culpa é do meu tio-avô Marcos, que era de uma terra lá perto. A Gafanha da Nazaré, conheces? E as pessoas dessa terra não gostavam de Ìlhavo.
Mas nada contra ti, Viriato.
Aliás, com esse teu nome, tenho tudo a favor....

Anónimo que é João:
Bem vindo a esta casa.
Pois. De certa forma tens razão. Para quê dar ênfase às parvoíces do Sócrates? Ele que fume, que fume onde quiser. Com tanta coisa a acontecer em Portugal, temos que virar os olhos para o que verdadeiramente importa.
Conto contigo.

Beijinhos a todos, bom fim de semana.

viriato disse...

Ok, compreendi-te. Aliás, convenhamos que ser de Ílhavo não é fácil. Eu sei, porque sou de lá (embora há quase 30 anos a viver em Lisboa) e lembro-me bem da asfixia que aquilo representou para mim durante boa parte dos chamados anos juvenis.
Quanto à velha «guerra» entre gafanhões e ilhavenses, é uma daquelas tolices antigas, infelizmente muito comuns no nosso país-pequenino. É o que se passa entre Crestuma e Lever, Vizela e Guimarães, enfim...
Depois, para desajudar, temos um gafanhão de nome Ribau Esteves, cuja existência, além de ser uma prova inequívoca do imenso humor de Deus é também um argumento de peso para os que, em Ílhavo, afiançam que os gafanhões não têm alma :-)
Eu, que não sou daqui (como diria o meu amigo Herberto Helder), passo bem sem me meter nesses conflitos regionais.
Abreijos, então. Com sabor de mar.

LFM disse...

lol