segunda-feira, 25 de fevereiro de 2008

Computadores, Rotundas, Ruas e afins...

Pois é. Isto de estarmos habituados aos computadores tem muito que se lhe diga. Calhei de ter uma avaria no disco nesta semana que passou e lá foi o bichinho para a reparação. Veio de lá sem passwords, fiquei com trabalho atrasado, e outras coisas do género... E cá estou eu às tantas da manhã a fazer testes para as próximas duas semanas. É que o II período escolar está quase a acabar. (Rima e é verdade!)

Porém, não posso deixar de partilhar convosco uma notícia que vi sobre um BUZINÃO organizado pelo PCP na freguesia de Abraveses, Viseu. Ao que parece, o presidente Ruas permitiu que fosse cortada uma artéria importante da circulação naquela freguesia. Foi cortada por uma estrada larga, de duas faixas, chamada "circular norte". Mas quem concebeu o projecto não contemplou a estrada antiga (a estrada velha de abraveses) com nenhum cruzamento, nem com rotundas, já que nesta cidade pelos vistos, abundam rotundas, mesmo para espaços vazios.
O problema é que a população está indignada, tanto mais porque existe ali uma escola, e os pais dos alunos vêem-se obrigados a fazer cerca de um quilómetro a mais para seguir viagem, todos os dias, até à rotunda mais próxima.
Houve, então, um partido que se colocou ao lado da população nesta luta. O PCP organizou já várias iniciativas, sendo a última um buzinão no passado sábado dia 23, e, segundo as notícias, parece que correu muito bem.
Enfatizo esta notícia para rebater uma ideia que há uns tempos circulava, que Viseu seria a melhor cidade portuguesa para se viver. Havia até um estudo da DECO a acompanhar este raciocínio. Um estudo que me levanta as maiores dúvidas, uma vez que tinha uma amostra muito pouco representativa. Este estudo permitiu a Fernando Ruas, o presidente da autarquia viseense, vangloriar-se várias vezes na comunicação social, dando a entender que em Viseu tudo era perfeito.
Pelos vistos não.
Este pequeno exemplo revela as fragilidades da gestão autárquica viseense. Segundo fontes que não posso revelar, há muitos mais exemplos de arrogância do Fernando Ruas, que por seu turno, já afirmou não ceder a pressões, relativamente à construção de uma rotunda naquele local.
Bem... aquilo que Ruas chama de "pressão", eu chamo de justo protesto das populações. E agora, digam-me vocês, ele não foi eleito para as servir?

2 comentários:

poesianopopular disse...

A setora , foi imprevidente, devia ter guardado o seu trabalho em pastas específicas,assim já não o perdia, OK
E perguntas-me tu, como é que ele sabe? É que já me aconteceu o mensmo!
Agora a sério, por incrível que pareça, a luta de rua, ainda é a forma mais eficaz de, o povo fazer respeitar a sua vontade, e os seu direitos, por conseguinte, A LUTA CONTINUA!
Abraço camarada
José Manangão

Mide disse...

Obviamente, a confiança na teia de relações de dependência e de medos a que vulgarmente chamamos "caciquismo", e que lhe permite manter-se no poder, permite a Ruas demonstrar essa arrogância. Acredita ele que, faça o que fizer, terá a maioria absoluta garantida. Por isso, até pode rir-se das manifestações. Não percebe, coitado, que esse é o primeiro passo em direcção ao fim, e que a população saiu à rua para protestar contra a SUA política. Isso não se via até há pouco tempo (os viseenses manifestavam-se contra medidas do governo, p.ex.).
Como diz o poesianopopular, a luta continua. Continua mesmo, e destes arrogantes não temos qualquer medo.