sábado, 12 de abril de 2008

Música para o Fim-de-Semana

Hoje fui ver a prisão do Forte de Peniche. Na mesma comitiva seguiam dois ex-presidiários, ou deverei antes dizer, dois presos políticos do tempo da ditadura fascista que Portugal viveu. Presos por serem comunistas. Presos por lutarem pela liberdade.
Foi estranho ouvir contar na primeira pessoa histórias relacionadas com a vida lá dentro, com a forma como eram tratados, como conseguiram fugir... Como disse alguém, "parece ficção", e realmente, até para mim, que tinha o cenário e os actores à minha frente me pareceu um argumento de um filme. Mas não. Aconteceu mesmo.
Arrepiei-me várias vezes. Emocionei-me. E mais tarde, passadas umas horas, ainda me sentia estranha por dentro.
Entretanto ouvi falar em Violeta Parra, e escolhi um dos mais lindos temas dela para aqui colocar como proposta de audição para este fim-de-semana. Por um lado, é, efectivamente, uma canção muito bonita, muito bem interpretada nesta versão (pela voz de Mercedes Sosa), por outro lado, após uma visita destas, fico cismada a pensar o que teria sido a minha vida, se não tivesse nascido em 1975, mas vinte anos antes...

"Gracias a la vida..."

9 comentários:

Mide disse...

Uma voz grandiosa (de alguém que tem, ainda para mais, um nome que noz diz tanto...). Um belíssima canção, que tem tanto a ver com o que vimos e sentimos hoje.
Obrigado ao Samuel pela recordação/sugestão.
P.S.: Sal, quando terei oportunidade de te voltar a ouvir cantar isto?...

mountolive disse...

Nascemos quando nascemos para sermos o que somos no tempo em que vivemos. Elos numa cadeia. Ainda bem que há gente (muita gente...) como tu nascida depois de 1974.
Eu, cá por mim, nasci em 1935...
Paciência. Fiz o que fui capaz, vou continuando a fazer o que posso.
Tal como as Mercedes e quem depois delas vier, e que como Mercedes se poderão chamar!

Sérgio Ribeiro disse...

Obrigado, Sal.
Mercedes (também a Sosa...), a perfeição das pequenas e simples coisas. Se perfeição existisse...
Obrigado por este acordar para este dia de Assembleia Concelhia do PCP em Ourém.
Gracias à la vida!

Justine disse...

Sal, também gostei muito de vos conhecer aos 3, família bonita. E o dia foi importante, porque é preciso não esquecer, nunca, o que se passou dentro daquelas paredes.
P.S.: A Mercedes Sosa é uma voz dentro da minha vida. A tua Mercedes, a vida dentro da tua vida!Mando-te por mail uma foto dela
Beijo

Fernando Samuel disse...

Obrigado, sal, «gracias a la vida» continuamos a lutar para que «Peniche nunca mais» e... 25 de Abril sempre!
Um beijo amigo.

O Profeta disse...

Hoje não vou falar de amor
Hoje tenho saudade de canções
De uma voz perdida no tempo
Que me ensinou o sonho, as emoções

Hoje senti saudades da minha rua
Da casa fria e quente da ternura
Do cheiro a lenha, pão amassado
Dos abraços tidos de forma tão pura


Hoje convido-te a saberes um pouco de mim


Bom domingo



Terno beijo

Au loin disse...

ola menina!
Devemos sempre agradecer à vida todos os momentos q ela nos oferece!
Um beijo de saudade

samuel disse...

Gostei muito do nosso bocadinho de convívio penichense, incluindo a conversa que levou a esta cantiga. Outros se seguirão, quem sabe, com maior colaboração vocal da parte de "certas e determinadas" pessoas que hipoteticamente possam já não estar roucas...

Abreijo

poesianopopular disse...

Gostei muito de vos ter conhecido!
Foi um sábado inesquecivel, é minha convicção, que somos merecedores, destes bocadinhos bonitos que a vida nos proporciona!
bjos para as duas e um abraço para o teu companheiro.
José Manangão
p.s.:obigada pelo momento musical!